Pesquisas mostram o impacto da pandemia em diferentes áreas da educação

COVID-19
MIN. DE LEITURA

A educação não é mais a mesma depois da pandemia do coronavírus (COVID-19). E isso fica claro após uma série de pesquisas no Brasil e em outros países já conseguirem dimensionar o impacto da paralisação das aulas presenciais.

Em comum, professores e alunos passaram a adotar tecnologias educacionais de maneira mais constante (quando a infraestrutura permite) durante esse período, manifestam problemas emocionais para lidar com o dia a dia em casa e a preocupação com o que ficará para trás em termos de aprendizagem.

Edtech
O momento de dificuldades também faz com que empresas do setor de tecnologia educacional coloquem o pé no freio. Em “Impacto no Cenário Brasileiro de Inovação na Aprendizagem: COVID-19“, a consultoria Future Education ouviu 114 integrantes desse ecossistema, entre mantenedores, diretores e coordenadores pelo lado das instituições, além de fundadores de startups educacionais.

O pessimismo de mantenedores no curto prazo é acompanhado pelos responsáveis pelas edtechs, que veem acordos sob ameaça diante do fluxo de investimento menor proveniente de escolas privadas. Por mais que o mundo da educação tenha feito da videoconferência uma ferramenta essencial, as portas físicas fechadas nas escolas têm dificultado a abertura de novas negociações.

Leia a íntegra da matéria publicada no portal Porvir